Conjugação do verbo SER no Presente IMperfeito

ou ainda: a "coisificação" do ser





Sou uma etiqueta

Sou uma marca

Sou um símbolo

Status



Sou uma ferramenta

Sou uma engrenagem

Sou funcional

Tenho utilidade

Capitalismo

Sou a Pressa

Sou a Busca

Sou a Futilidade

Sou a Inquietude

Rotina
Somos o Tudo

Que se torna Nada

Somos Máquinas

dessa economia

Meios de Produção

Escambo

Dinheiro
Somos Consumo

Somos Desejo

Gana e Vontade

Esponjas

Absorção em massa

De cultura desculturalizada
Somos o Tudo

Que se torna Nada

O que falta em sensibilidade

Nos sobra em anseios

O que nos falta em moral

Nos sobra em dinheiro
O que nos falta em...

O que nos falta?
Somos...

O que...

Somos?

Complexos Animais


E nessa triste ilusão de acordar com alegria me perco
Perdendo também as esperanças no mundo;
Olho em volta, a rotina os engole
Continuam vivendo, cuidando da prole

Simples humanos, complexos animais
O poder de escolher, de pensar nos difere
Somos superiores... Mas ainda perdedores
Olhando para o próprio umbigo, ferindo
Matando
Roubando
Acabando com o planeta que chamamos de Terra
Destruindo-nos em uma infindável guerra.

Mas para onde vamos? Aonde chegaremos?
Não consigo entender o porquê,
Se o mundo era tão perfeito, porque comer a maça?
Podiam simplesmente ter esperado o amanhã.


Os dias se repetem, a rima continua
Corações pulsantes
Mentes errantes
Humanos falantes

As crianças ainda brincam, os adultos ainda conversam
A alegria ainda existe
E por mais que não se entenda
Por mais que ninguém compreenda
Ela ainda está la...
Brilhando em cada olho, seja na fome
Seja na guerra.
Na água ou na terra,
Ela ainda está lá, aliviando a dor, nos enchendo de amor
Dando força
Erguendo nossas cabeças para mais uma luta diária
Ela, a esperança.

Um dia melhor virá,
O sol ainda nascerá
Os passaros cantarão
E mesmo que deixemos que nos assassinem com seus poluentes
nos matem de fome na África
Matem nossos animais, matem nossas crianças
Criem bombas atômicas
Calem as nossas bocas
Batam em nossas caras,
Ainda estaremos lá, pois somos esses tais de homens
Esses complexos animais.


Desculpem eu não sou poeta, eu sei que não ficou bom, mas hoje é segunda-feira, mereço um desconto.. ;D
Hoje vou deixar uma música bonita da Ana Carolina - É isso aí (Vou no show dela!!)

Beijão, Hugo.

Um Brilho na Rotina

Estava voltando do ensaio do teatro, hoje a tarde, no ônibus ouvindo "kiss of a rose" no meu mp3... a chuva estava passando, ou pelo menos caia mais fina...as pessoas no ônibus estavam eufóricas conversando alto e eu tentando me concentrar ouvindo música.
Olhei pela janela. Os carros cruzavam a avenidade velozmente e as pessoas nas ruas andavam apressadas apesar de ser domingo à tarde, nas paradas de ônibus porém, algumas conversavam calmamente...
Olhei para o céu estava meio azul, meio cinza, mas entre as nuvens e a massa de poluição que parecia cobrir a cidade eu o ví. Um arco-íris cortava o céu e junto com ele raios solares apareciam timidamente por entre a chuva que diminuía. Aos poucos o arco-íris foi ficando mais forte e mais colorido e eu completamente apaixonada com aquela visão. As nuvens, a poluição cinzenta do céu iam ficando desfocadas e os raios solares aumentavam.
Tirei uma foto com o celular encantada com a cena, olhei ao redor. As pessoas não pareciam tão encantadas quanto eu, na verdade, parece que ninguém notava aquele espetáculo que surgia diante de nossos olhos. Na rua pessoas continuavam a andar apressadas, carros continuavam a buzinar e ninguém reparava no que estava se passando a não ser eu.
A rotina muitas vezes nos fadiga, nos sufoca, nos cansa. Acabamos sempre correndo demais e aproveitando de menos. Corremos mais para chegar mais rápido, trabalhamos mais para ganharmos mais dinheiro, gastamos mais para termos mais coisas, temos mais coisas para nos satisfazermos mais, e ao fim continuamos do mesmo jeito, quer dizer, no final, acabamos mais deprimidos. Perdemos então coisas simples como um arco-íris num dia chuvoso, ou um jardim florido numa manhã monótona...pela pressa, pela ambição, pelo "ter que ter" perdemos de viver e de reparar os pequebos presentes que a vida nos oferece...
O ônibus seguiu com seus passageiros abusados, agoniados, faladores, as avenidas com seus carros velozes, seus semáforos agoniados, suas buzinas agitadas, seus pedestres nervosos, mas eu vislumbrei aquele presente e toda a fadiga e cansaço que me possuiam pela correria da semana sumiram enquanto aquele arco-íris timidamente fazia seu papel de abençoar mais um dia em nossas vidas.

A pílula vermelha


Ontem tive aulas de filosofia, que me serviram de inspiração pro texto de hoje. Alguns talvez ainda me comparem com o Gaúcho, fazer o que. Vou filosofar um pouco..
Platão deixou alguns milhares de anos atrás um mito para nós, o mito da cavera, muitíssimo conhecido, onde ele fala que todos vivemos em uma caverna presos a correntes, vendo na parede apenas sombras do mundo real, acreditando que aquilo é a verdade. Mas alguns conseguem se libertar, sair da caverna. Esse mito é uma coisa tão significante que o estudamos até hoje, eu particularmente o adoro.

No filme Matrix é a mesma coisa, mas lá estamos todo servindo de pilhas para máquinas, vivendo em um mundo virtual, acreditando em mentiras. Mas isto não é tão diferente da realidade né? Vemos muitas pessoas completamente alienadas, que não sabem nada, e eu não estou falando apenas das classes baixas, os ricos atuais também são muito burros, fechados em seus mundinhos particulares. As pessoas simplesmente se acomodaram a viver acorrentadas, poucas ainda têm a vontade de se libertar. E isso é muito triste.

Simplesmente implantam idéias nas nossas cabeças, como na Matrix, fazendo de nós simples andróides, sempre prontos a obedecer, servir... A parede da caverna já se tornou real para a maioria das pessoas, elas simplesmente acreditam que devem seguir um modelo, um padrão. Mas o que é esse padrão? O que é que esperam de nós?

Esperam que sejamos seguidores do sistema, é simples. Devemos ser do "bem". E o que é ser do bem? É ser correto. Mas o que é ser correto? Fazer as coisas certas. E o que é certo? Tá chega. Não sei se vocês conseguiram me entender, mas eu queria apenas dizer que não existe esse tal de "correto", pois não existe uma só verdade.

Não beba, não fume, não grite, não ria alto, não fale palavrão, estude, trabalhe, compre, obedeça, não entenda, apenas faça, siga, copie, ensine à seus filhos, acredite, não questione, apenas faça, não pense, não se divirta, apenas trabalhe, não viva, não ame, não fale "eu te amo" para seus amigos, é muito gay, não tente mudar, não entenda, apenas faça, não quebre as regras, tenha medo, preucupe-se com o que vão falar de você, eles estão te olhando, tenha vergonha de ser feliz, tenha vergonha de viver, tenha vergonha de ser você, não pergunte, não entenda, não pense, apenas faça. Eu não estou a fim de ser assim e você?

Aos poucos eu estou conseguindo abrir os olhos fora da caverna, a luz é muito intensa mas aos poucos me acostumo, muitas pessoas também aos poucos arrebentam suas correntes, com toda a fúria interior, correndo para a liberdade. Mas sempre existirão os que preferem ficar lá, os que não suportam ouvir algo diferente do que lhes foi ensinado, e eles são a maioria, temos que ajudá-los.

"O mundo é dos loucos", daqueles que conseguem inovar, então não tenha medo de ser você, esse mundo tem muito para mudar, e o início de tudo é abrindo as cabeças. Temos que deixar de lado a opinião alheia, aliás o que é a opinião alheia? É a inveja de pessoas que não tem coragem, que não suportam ver vitalidade e felicidade em alguém, simples seguidores. Todos estão cansados da mesmice, atualmente o que vale é a originalidade, então se aquela patty te acha um merda que não gasta 700 reias em um tênis, sorria, simplesmente tenha pena dela e de todos que pensam assim. Não precisamos provar nada para ninguém. Tá afim de andar pelado? Não se preucupe você não vai matar ninguém. Tá afim de correr por aí gritando? Não você não vai morrer. Tá afim de encher a cara com os amigos? Não, seus pais não vão te matar. Tá afim de mudar? Então me de a mão, vamos lá!

Está na hora de quebrarmos as regras (não eu não estou falando de cometer crimes), pois, como já venho falando faz eras, somos o futuro desse planeta. Não quero começar mais um discurso revolucionário, vou parar por aqui por hoje, mas só pra finalizar, o que você decide, tomar a pílula vermelha e ver a realidade ou a pílula azul e continuar na ilusão?

Um beijão, vou deixar a cena da pílula do Matrix, não consegui achar legendado... Ah, só mais uma coisa, ninguém é obrigado a concoradar com o que eu escrevo, té mais!


Filosofia do poder.


Ser humano

Ser...Humano

Humano

Humanizar

Ser

Sentir


O que significa?

Todos seres, por viverem, humanos por serem homo...

Mas nós dizemos "fulana é uma pessoa tão humana" ou "ele realiza um trabalho humanitário"

Associmos sempre o ser "humano" em ser sensível, ser bom, ser consciente, respeitar...

mas o ser "humano" nem sempre está associado ao ser-humano.

E onde erramos, quer dizer por que tantas guerras?

Por interesses políticos, você pode responder. E eu pergunto que interesses são esses?

E você responde o de deter o poder, mas o que seria esse poder?

Hoje na minha aula de política a professora pediu para levár-mos um objeto que representa-se poder para você. Os objetos e suas explicações pelos alunos foram:

a) Bíblia: por exercer um poder ideológico em massa ou como outros disseram, por reger minha vida pois é a palavra de Deus e Deus é o poder maior;

b) um livro: por dar conhecimento e fazer com que as pessoas que detenham esse conheimento possam argumentar com maior eficiência, além de entender o que o cerca e poder influênciar a outros. (esse foi o que levei);

c) a foto da mãe: pela vida dos pais e principalmente a materna exercerem diretamente influência nas de seus filhos e conseqüentemente nas maneiras de pensar e agir, além de serem os primeiros a termos contato, na maioria dos casos;

d) um mp3: pela representação da música que influência a vida das pessoas, seus modos de pensar e costumes, e que podem atingir a todos como o movimento Woodstock que através da música levou o estilo hippie de ser contrário ao sistema capitalista e à ordem vigente (apesar do msmo capitalismo depois utilizar esse movimento como "moda" e o vendê-lo em vitrines) mas teve sim seu impacto;

e) um celular: representando o avanço tecnológico que nas guerras, principalmente na II Guerra Mundial, foram fator decisivo e que hoje serve de índice para classificação em grandes e superpotências;

f) uma espada (isso mesmo, de verdade) : por representar a coerção através da força, do medo, o intimidar;

g) um terço: representando o poderio que a Igreja Católica representou na Idade Média como forte força ideológica e que em muitos momentos tornou-se política também e ainda possui, ainda que menor, na figura do papa;

h) um jornal: mostrando a força da mídia e o poder que tem sobre as massas, podendo contar a realidade, filtrar ou até transformar os fatos e manipular as opiniões públicas;

i) uma camisa de um time de futebol: como o poder do futebol na nossa nação e até no mundo de reunir um enorme mundo de pessoas em volta de um sentimento, ou de "alinear" essa população para não pereceberem as crises reais que a cercam, ou ainda como um forte comércio onde circula incalculáveis somas de dinheiro, desde na venda dos ingressos, como de camisas, como nas contratações ou de em países como o Brasil oferecer uma oportunidade de ascenção na camada social/econômica para a população carente;

j) uma carteira ou cartão de crédito: mostrando como hoje no mundo capitalista quem detém o dinheiro detém o poder, e inclusive está acima da lei (coisa que estamos acostumados a presenciar);

l) a mulher (?) : como o poder que exerce sobre o homem (?)


No fim percebemos que na verdade não é o objeto em sí que detém o poder, uma arama só não atira nem mata, nem coage, um livr fechado não elucida, instrui ou destrói mensagens, um jornal por sí só não destrói ou forma pontos de vista, é necessário que o homem utilize esses objeto para exercer tais poderes, logo, o homem é o detentor da capacidade de conversão ou de posse do poder não o objeto em si.

será que esse ser-humano, podera ser "humano" e deter o poder? Se no mundo em que vivemos poder quase sempre é sinônimo de mandar, subjugar, oprimir...

O que para você é poder?

O que ele lhe representa?

Você quer ser "humano"?

Você quer ter poder?

Será que esse ser humano poderá deter o poder e ser humano?

Por Priscilla

Meio Punk

Essa é a 4ª vez que eu escrevo o texto, simplesmente por não ter gostado dos anteriores. Hoje está muito difícil de escolher o que escrever... queria falar novamente sobre junventude, mas também queria falar da humanidade. Vi fotos de matanças de animais, mortes na africa, fome em países pobres... e ainda somos os racionais, ainda somos os mais evoluídos, mas não conseguimos enxergar que nada se ergue sozinho.

Estamos acabando com a natureza, desfilando com casacos de pele e usando diamantes que custaram muitas vidas em guerras internas de países africanos. Continuamos acreditando nas mentiras da TV, doando dinheiro para o Criança Esperança a realmente acreditando que vamos para o Paraíso por causa disso. Os adultos exigem de nós jovens mudanças, falam que na época deles não era assim, mas em suas casas cada um trata de reprimir seu filho, limitar sua visão de mundo, fazer dele mais um andróide do sistema.

Enquanto isso vamos nos acostumando com a violência, desde que haja um Mcdonald's por aí, com muita gordura, algumas drogas para esquecermos quem somos e esquecermos que somos passivos e inúteis, muita bebida também e muitas mordomias enquanto nos cegam para a realidade. Vivo em Curitiba, estudo em um dos melhores colégios e sei o que é a merda da juventude atual. Ouvindo tuche tuche, tomando muita bala, carpe diem pra cá e pra lá sem saber o que signfica direito, achando que são felizes e lindos, mas no fundo eu vejo naqueles burgueses um vazio. São apenas imagens, apenas superficialidade, se todos pararem de olhar para eles logo entrarão em depressão e se matarão. É simples hoje em dia.

Viramos um bando de alienados, alguns emos, muitos preconceituosos, e o mais legal de tudo, dizemos "foda-se" para o mundo. Papai e mamãe cuidarão de tudo.

Mas ainda existem os que pensam, os que ainda não fecharam essa página com raiva, você que telvez esteja com um pouco de satisfação de ler esse texto e pensando lá no fundo "pattys e playboys filhos da puta!". Não, não é assim, não julgo mais as pessoas e acho que ninguém deveria julgar. Cada um com sua vida. Como minha professora falou "Vocês estão muito caretas!" e é verdade, nós que deveríamos ser a vitalidade, a diferença, a rebeldia, a raiva e as emoções saindo pela boca viramos apenas manequins, passeando em shopping, lambendo os cus dos americanos. Não estou me excluíndo disso, apenas acho que poderíamos de vez em quando pensar em algo a mais.

Vou repetir mais uma vez: Nós podemos, nós faremos! E por favor, abram suas mentes, não aguento mais pessoas quadradas pegando no meu pé. Aproveite a vida! Seja jovem, faça o que sempre disseram pra você não fazer, não espere a vida acontecer, faça ela, seja diferente. Ou será que até hoje você não percebeu que você é dono da sua vida? Até Jesus bebia vinho. Não tenha vergonha de ser você... mais pra frente você vai lembrar de tudo que você fez, talvez algumas cagas, mas poderá dizer "valeu a pena".

É eu sei que meu texto é difícil de entender, eu escrevo o que está aqui dentro, e na ordem que as coisas vem na minha cabeça. Infelizmente não tenho tempo de organizar as idéias e escrever um texto certinho, terceirão é barra. Mas é isso por enquanto. Ah! O que acharam da Priscilla?

Beijão!
*Hoje um punk rock, Garotos Podres - Papai Noel Velho Batuta
O refrão é assim:

"Papai noel filho da puta
Rejeita os miseráveis
Eu quero matá-lo
Aquele porco capitalista
Presenteia os ricos
E cospe nos pobres
Presenteia os ricos.."

A História da marginalização.

É com imenso prazer que trago minha primeira contribuição ao Rotineiro, agradecendo mais uma vez ao convite que recebi de Hugo. Espero que possa me encaixar ao perfil rotineiro, e continuar com essa proposta maravilhosa que ele traz. Então vamos ao texto que é o que interessa...


Marginalizar:
1.Impedir que faça parte de uma sociedade, grupo, da vida pública,etc.
2.Tornar-se marginal.
Definição do Aurélio

A violência está grande e estúpida é verdade, as pessoas saem nas ruas amedrontadas,
Nunca se viu tanta barbárie, tanta brutalidade.Vivemos com medo das pessoas, dos lugares, das circunstâncias. Vivendo amarrados pelo medo.

Mas será que não houve em alguma época lá atrás algo que causasse o que vivemos agora?

Marginal, são como os chamam, aqueles que vagam nas ruas, aqueles que não tem nada...e esse é o termo correto, mas não da maneira que se pensa comumente. Marginal significa o excluído o marginalizado, ou seja, aquele que foi colocado à margem ... e o que a História desse nosso país nos mostra?

Na “descoberta do Brasil” os índios foram marginalizados pelos portugueses, perderam sua soberania para o Reino Português, da mesma forma que espanhóis de forma até mais brusca invadiam, matavam e destruíam Civilizações como Maias e Incas, acabando com suas organizações sociais, que sim existiam, reduzindo tudo à matança, à exploração...

Durante a colonização , no período açucareiro, portugueses realizaram o comércio de gente, isso mesmo, o tráfico de pessoas, pessoas que moravam em suas tribos, com suas famílias que caçavam, dançavam, guerreavam, viviam...então foram arrancados de seus lares e presos em navios como se fossem animais fazendo todas as suas necessidades no meio deles mesmo, num convés escuro, e ao chegarem a essa terra foram vendidos e levados para trabalhar em plantações em troca de nada ... os negros foram marginalizados, colocados à margem da sociedade colonial que passeava na capital do Império, que assistia missas, que dançavam nos bailes imperiais...

Então tempo passou e veio abolição da escravatura, não haviam mais escravos e todos eram homens livres, livres? Não esses homens estavam presos mais do que nunca, mas agora não por fortes barras de aço e algemas, e sim pelo preconceito, esses seriam eternos serviçais, eternos subjugados, a raça inferior...estou exagerando? Não mesmo, lembre-se do Imperialismo do século XIX, em como as Nações Européias invadiram a África e a dividiram em colônias européias subjugadas, impondo sua cultura e língua aos seus habitantes...mas voltemos ao Brasil.

Na época cafeeira vimos imigrantes chegando ao país cheio de expectativas de uma vida melhor, sem guerras, sem privações, e esse sonho se destrói ao desembarcarem nos portos e seguirem para os campos de café...submetidos agora a um sistema quase que feudal, marginalizados por serem nada mais que empregados presos a terra em que trabalhavam com o mínimo de sustento, enquanto os barões do café, os coronéis viviam suas vidas de glória.

Hoje vemos todas essas marginalizações históricas intrínsecas na nossa sociedade, olhe ao redor e você perceberá. Como a nossa cultura alimenta a marginalização e agora quando a violência sai dos morros e invade as cidades e a confortada e conformada classe média abrimos a boca para protestar. Mas se ela ficasse nos morros será que estaríamos tão ativos? Será que nos reconheceríamos com àquelas realidades. Será que pediríamos paz?

Por Priscilla Pontes

Até quando?


Até quando viveremos assim meu Deus?
Vivendo na escuridão, na dor, no ódio..
Até quando deixará morrer os seus?
Pequeninos e frágeis, vidas que tinham muito a viver..


Mortes desnecessárias pela ambição louca de um lunático
Que esquece que existem pessoas inocentes por aí
Mata, invade, destrói e ninguém faz nada
Apenas assitimos pela televisão


Talvez uma lágrima derramada, talvez um aperto no peito
Mas logo vem o pensamento:
"Sou um ninguém, não posso ajudar"
E o lunático sabe que não há ameaças..


Quem somos nós para desafiarmos o sistema?
Quem somos nós para exigir paz?

Até quando resistiremos com toda essa dor e sofrimento?
Abandonados na Terra, prisioneiros de um mundo injusto
Onde ricos roubam de pobres e riem da infelicidade alheia
"Esses pobres só atrasam o país" eles dizem
Continuam no seu eterno baile de máscaras
Infelizes
Deprimidos
Finjindo...


Guerras inúteis, violência diária
Seres humanos ou bestas bizzaras?

É impossível continuar assim, desculpem eu não consigo
Renan Calheiros impune, nossos politicos podres
Preucupando-se com aviões enquanto pessoas morrem de fome

Chega de olharem apenas para o próprio umbigo
A humanidade é feita de sociedade, ninguém vive sozinho
Chega de toda a hipocrisia

Cansei de ver órfãos de guerra, mutilações, pessoas chorando
Porque não podemos viver em paz...?
Até quando isso vai continuar?
Até quando permaneceremos passivos?





Hoje é mais um dia meio de desabafo.. Queria ter a coragem de sair nas ruas sozinho gritando, talvez alguns viessem junto. ..."Se você treme de indignação perante uma injustiça você tem as qualidades de um revolucionario..."

Hoje não tem música.

*O blog vai ter uma nova autora agora! Eu e Pri agora somos parceiros no Rotineiro! Vocês vão adorar os textos dela!

Fuga

Desejo oculto de muitos...

E os problemas do mundo vão se distanciando;
As mortes, a violência aos poucos somem da lembrança;
Contas, dinheiro, stress, poluição, desastres?
Estupros, assassinatos, guerras, corrupção?
Doenças, tristeza, fome, horror, caos...?
.
Tudo ficou, ainda existe um mundo belo;
Feliz, pacifico, livre;
Estou fugindo para lá..
Onde?
Não sei, mas vou em busca dele
Com protestos, gritos, força, vontade..
.
Agora vejo a estrada, aos poucos se formando
nela vejo outros caminhando;
Os que quebraram as correntes, os que sairam da caverna
E vamos todos juntos fugindo da linha reta que nos mandaram seguir.
.
Aonde chegaremos?
Basta a nós mesmos decidir, pois nós fazemos o caminho,
Vamos?




Desculpem se pirei de mais! É o sono! Té amanhã, beijos!

* White Stripes - I just don't know what to do with myself (Título para mim hoje, talvez explique outro dia...)

Normalidade

Hoje nada de especial no Rotineiro. Segunda-feira, recomeço. Um pouco mais de três meses pro vestibular, aulas de filosofia à noite, e daqui a pouco acho que virão aulas de domingo. Faz tempo que não vejo as notícias então não tenho nada para comentar sobre o mundo. Os EUA dever estar fazendo alguma cagada no Iraque, a Africa morrendo do fome, israelenses e palestinos guerreando, Rio de Janeiro tráfico de drogas... tem coisas que nunca mudam né?

Tenho que dormir, to muito podre. Vou deixar uma coisa engraçada pelo menos no fim, adoro esse site e as tirinhas desses caras. Próximo post eu melhoro!

*Música de hoje "Cotidiano" do Chico Buarque, só que na voz do Isaque Galvão (sim, Ídolos) que eu prefiro, versão muito mais animada.




Beijão!

Assuntos novos


É, não tinha um título melhor. Eu adoro falar sobre revoluções, mudanças e tudo mais, mas hoje não vou falar só disso. Vou falar de como tudo começou.. ohhhh hehehe
Antes de tudo eu queria ser punk, pela revolta, por adimirar aqueles caras loucos que tocavam o "foda-se" por aí. Punk-rock na veia, começam as idéias loucas, mas continuei na minha.
Depois disso descobri os hippies com toda aquela cabeleira, não se importando com o materialismo, meio que tocando um "foda-se" também. Fui contaminado por toda a psicodelia de Woodstock, Janis Joplin, Jimmy Hendrix, Jim Morrison! Mússicas dos anos 60 no meu celular enquanto todos ouviam os tuche-tuches da vida.
Sempre fui meio diferente... Aí veio a MPB, as raízes, o orgulho de ser brasileiro, a suavidade de Elis Regina, Tom Jobim, letras maravilhosas, músicas com sentido!
Mesmo assim ouço de tudo, gosto de tudo, sou uma mistura de tudo, uma metamorfose ambulante. Adoro mudar, inovar, ser o diferente do cabelo moicano com a camisa desbotada escrita "Too old to rock, too young to die", se bem que não sou "old to rock" não... hehehehe
Adimiro muito pessoas que tentam passar alguma mensagem, adimiro também os loucos que não se importam com nada. Eu sei, é difícil de entender, mas eu sou assim, uma mistura de raças, de culturas, de pensamentos.

Revolucionário? Tomara! Nem que seja pra levar um tiro no peito, estarei lá! Eu tenho essa vontade louca de sair por aí meio hippie ambulante, com cabeça meio punk, mudando a visão de mundo de quem acha que a vida e seguir uma linha reta. NÃO. Minha linha não é reta, não acredito em destino, eu posso, você pode, nós faremos. O mundo é nosso, o futuro está em nossas mãos, basta seguirmos em frente! Feche os olhos, mas mantenha a mente aberta.


"Muitos me chamarão de aventureiro, e o sou, só que de um tipo diferente: dos que entregam a pele para provar suas verdades." - Che Guevara

Um abraço e um beijão!

*Música de hoje: Pearl Jam - Do The Evolution. Esse é O clipe, assistam! (Procurei um com legenda, assistam vale a pena!)


On and on


Eu tinha escrito um texto tão chato, mas tão chato, que nem eu aguentei ler aquela merda. Vou começar de novo. Doente, falta de criatividade novamente, algum tempo sem acompanhar os jornais... O que vai sair aqui então? Nem eu sei... coloquei essa foto minha pra ocupar espaço. Ah, pelo menos esquentou hoje em Ctba, um dia sem blusas! Mas já tá chegando outra frente fria...

Ontem matei saudades de alguns amigões, e aí bateu aquela saudade do segundo ano... Onde a gente podia ser vadiu... Mas esse ano vai acabar, vou repor tudo que eu perdi... festas, viajens, feriados.

É eu sou daqueles que sonha com os 18.. hehehe... e depois faculdade, tentar entrar em algum jornal, por a boca no mundo, ser expulso do jornal, sair em protesto, conhecer a África, entrar no Greenpeace, ajudar as pessoas, aproveitar a vida a cada dia... Carpe Diem como me disseram, mas meu Carpe Diem é meio ao extremo, tipo "Live fast, die young". Haha nem tanto também..

Já deu um bom texto pra uma quinta-feira, amanhã é sexta e nas sextas volta minha inspiração. Até hoje só falei de revolução, ainda nem pirei com idéias hippies e punks. Não perca os próximos capítulos! HAHA, nossa hoje to péssimo... Beijãoo!

*Yeah Yeah Yeahs de novo! Down Boy