atualizando...

Passando para atualizar O Rotineiro, em meio a essa rotina que parece mais me afastar daqui (¬¬), acho que o mesmo deve estar acontecendo com Hugo, já que faculdade consome até sua alma. Mas parece que nossa vida sempre está apertada, parece que o tempo falta e as 24 horas já não são mais bastante para fazer tudo que se deve, então agente vai encurtando o sono, acordando mais cedo, vivendo mais elétrico, e vem o belo conhecido nosso stress, que hoje já atinge 70% da população brasileira.

E aí você pensa como seria melhor sumir de tudo e todos, tirar umas férias prolongadas e se lembra que (Oops!) ainda estamos em Março, e muita coisa vem pela frente até as próximas férias...quer dizer, isso se você não ingressar no tão sonhado mercado de trabalho, e aí sobreviva com os quinze dias de recesso. E porque vivemos assim? Por que a moderninade nos prometeu dar mais tempo para descansarmos, menos tempo com o lavar a louça, porque agora tem lavar-pratos, menos tempo para receber notícia dos seus familiares e amigos, porque agora tem email, celular, telefone...Menos tempo para chegar nos lugares, porque agora tem o carro!

Mas o que a modernidade não lhe falou é que você teria que dar algo em troca: dinheiro. E para conseguir dinheiro você teria que vender uma das poucas coisas suas, por natureza, a sua força de trabalho. Ah e dar uma boa parcela do seu tempo, também.

E no fim você gasta grande parte do seu tempo correndo atrás do seu suado salário para adquirir os produtos e meios oferecidos pela modernidade para te dar uma vida mais tranquila, sem stress, e com mais tempo para você mesmo. A questão é que você nunca usufrui do que esses produtos deveríam lhe dar, porque estamos sempre correndo atrás de mais e mais, para ter e viver mais e mais. E só o que conseguimos é encurtar nossa estadia por aqui. Vivendo em função do financeiro, e não da família, dos amigos, de nós mesmos.

Quantas famílias se separam, por um dos membros ter que sair de casa, da cidade, do país, para "vencer na vida", ganhando mais dinheiro e tendo mais do que teria se estivesse ao lado daqueles que ama.

E aí vamos vivendo, mesmo sem estarmos tão bem, mas correndo sempre atrás de uma felicidade e um descanço que nos parece cada vez mais distante. Complicado.